quarta-feira, 27 de abril de 2016

Comissão aprova nomes para defesa e acusação no processo de impeachment

QUARTA-FEIRA, 27 DE ABRIL DE 2016, 13H57

Veja também o cronograma das atividades do Senado Federal para o julgamento do processo de impeachment de Dilma Rousseff

Da redação, com Agência Brasil



O presidente da Comissão Especial do Impeachment no Senado, Raimundo Lira, e o relator, Antonio Anastasia durante reunião para analisar e votar requerimentos / Foto: Antonio Cruz / Agência Brasil

Na segunda reunião da Comissão Especial do Impeachment no Senado realizada nesta quarta-feira, 27, dedicada a aprovação de requerimentos, os senadores aprovaram os nomes de quem fará a acusação e a defesa da presidente Dilma Rousseff nos próximos dias. De acordo com os requerimentos aprovados, quinta-feira, 28, serão ouvidos os advogados autores da denúncia que deu origem ao processo de impeachment, Janaína Paschoal e Miguel Reale Júnior.

Na sexta-feira, 29, será ouvido o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, responsável pela defesa da presidenta Dilma Rousseff. Além de Cardozo, mais dois ministros serão convidados: Nelson Barbosa (Fazenda) e Kátia Abreu (Agricultura), além de um representante do Banco do Brasil. 

Na próxima segunda-feira, 2, serão ouvidos, também pela acusação, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Velloso, e o procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira, que identificou o atraso no repasse de recursos para bancos públicos para o pagamento de benefícios sociais, as chamadas pedaladas fiscais. Também está na lista o professor do Departamento de Direito Econômico-Financeiro e Tributário da Universidade de São Paulo (USP), Maurício Conti.

Já na terça-feira, 3, o professor de direito processual penal da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Geraldo Prado; o diretor da Faculdade de Direito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Ricardo Lodi Ribeiro, além de Marcelo Lavenère, ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Todos vão falar pela defesa.

Segundo o presidente da comissão, senador Raimundo Lira (PMDB-PB), por dia, só serão permitidas, no máximo, quatro manifestações, que juntas não poderão ultrapassar o tempo de duas horas.

Ainda conforme o calendário acertado para a primeira fase de discussão da admissibilidade do processo, na quarta-feira, 4, o relator, senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), apresentará seu relatório. A partir daí, o presidente da comissão dará um prazo de 24 horas para vista coletiva, de modo que os senadores possam analisar os argumentos do relator.

No dia 5 de maio, a defesa da presidenta terá mais uma oportunidade de se manifestar, dessa vez com o parecer em mãos. No dia seguinte, o relatório deve ser votado pelo colegiado. Feito isso, haverá mais um intervalo de 48 horas úteis para que, no dia 11 de maio, a votação final sobre admissibilidade ocorra em plenário. Se aprovada a admissibilidade do processo, a presidente da República será notificada e imediatamente afastada do cargo por 180 dias. Se rejeitada a admissibilidade, o processo será arquivado.
Tumulto

A sessão de hoje ocorre bastante tumultuada por sucessivas questões de ordem apresentadas por parlamentares do Bloco de Apoio ao Governo, que insistem que a presidenta Dilma Rousseff é honesta e não cometeu crime de responsabilidade.

Em 2015, o governo atrasou o repasse de R$ 3,5 bilhões do Banco do Brasil (BB) para o pagamento do Plano Safra. Isso fez com que o banco pagasse os agricultores com recursos públicos. Segundo a denúncia aceita pela Câmara dos Deputados, na prática, esse mecanismo configura a chamada “ pedalada fiscal”, já que o governo tomou empréstimo de um banco público, o que é proibido por lei.

O Palácio do Planalto diz que houve atraso nos pagamentos, não da operação de crédito. Senadores petistas, como Gleisi Hoffmann (SC) e Lindbergh Farias (RJ), insistem que não há assinatura da presidenta da República em nenhum desses atos e, portanto, não há crime de responsabilidade fiscal.

A outra acusação contra a chefe do Executivo é a assinatura de decretos com créditos suplementares sem autorização do Congresso Nacional.

“O que está em jogo não é a pessoa física Dilma Rousseff ou se ela é honesta. Estamos tratando de um crime de responsabilidade cometido por um agente público”, disse o senador José Medeiros (PSD-MT).






Matéria retirada do site:

Arquidiocese lança campanha "Rio se Move" em parceria com alemães

QUARTA-FEIRA, 27 DE ABRIL DE 2016, 15H53
MODIFICADO: QUARTA-FEIRA, 27 DE ABRIL DE 2016, 16H03


A campanha visa dar maior visibilidade a alguns programas existentes na arquidiocese que atuam em benefício daqueles que sofrem exclusão social


Da redação, com Arquidiocese do Rio

No ano dos Jogos Olímpicos, a Arquidiocese do Rio de Janeiro lançou nesta terça-feira, 26, a campanha “Rio se Move”, uma parceria com diversas instituições alemãs. O evento de lançamento aconteceu na sede do projeto “Se Essa Rua Fosse Minha”, em Laranjeiras. A iniciativa tem como objetivo dar maior visibilidade a alguns programas existentes na arquidiocese que atuam em benefício daqueles que sofrem exclusão social.

Durante o lançamento, o secretário-geral da Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Leonardo Ulrich Steine, destacou que a parceria é uma oportunidade de fazer com que os grandes eventos possam alcançar as pessoas que estão à margem da sociedade, de forma que, ao renovar as esperanças, esse possa ser um tempo novo para o povo carioca.
O Projeto

O projeto ‘Rio se Move’ é a parte brasileira de uma iniciativa que nasceu na Alemanha chamada ‘Rio nos Move’. Junto a várias instituições de caridade, o projeto percebeu as necessidades do povo e colocou jovens e adultos à disposição para ajudar o Brasil. “Ao encontrar eco em nossa cidade, nós também fazemos parcerias. Chama-se ‘Rio se Move’ porque é a cidade se movimentando em prol dos seus”, disse Dom Leonardo. 

“A CNBB, a Conferência dos Religiosos do Brasil e a ArqRio estão unidas a essas instituições alemãs para falar, principalmente, de um legado mais humanizado, de forma que os grandes eventos, como os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, realmente possam chegar ao coração da nossa gente, incluindo, educando, dando mais expectativas e esperanças de que este evento que vai passar vai deixar um tempo novo na cidade”, destacou.
Evangelização e os Jogos Olímpicos

De acordo com o Cardeal Orani João Tempesta, por conta dos Jogos a cidade se tornou uma vitrine para o mundo e não pode deixar passar a oportunidade de evangelizar. O arcebispo ressaltou que a Igreja está atenta e busca estabelecer diálogos e pontes com os grupos envolvidos.

“Sabemos que o mundo dos esportes é um campo, ao mesmo tempo, fértil e aberto para a evangelização. O Rio de Janeiro vai receber esses grandes eventos esportivos, e a arquidiocese não pode se omitir diante da responsabilidade de fazer com que o Evangelho seja anunciado e os legados humanos e sociais se destaquem”, disse o cardeal.

O cardeal ainda contou que na Vila Olímpica, local onde os atletas ficarão alojados, será feita uma ‘capelania’ inter-religiosa, na qual todas as religiões terão espaço. As pessoas também serão acolhidas nas paróquias próximas à região, e haverá celebração de missa em diferentes idiomas. Ele ainda lembrou que, durante a Jornada Mundial da Juventude, em 2013, o Papa Francisco abençoou, pela primeira vez na história as bandeiras Olímpica e Paralímpica no Santuário do Cristo Redentor, fortalecendo ainda mais os laços entre a evangelização e o mundo dos esportes.

Em 2012, ao final dos Jogos de Londres, a arquidiocese recebeu dois símbolos: a cruz Olímpica e o ícone da paz. Tais sinais vão marcar a presença da Igreja nos grandes eventos esportivos mundiais.
Atividades do Rio se Move

No dia 21 de maio será realizado o encontro “Esporte e Paz”, na Lagoa Rodrigo de Freitas, com o objetivo de manifestar publicamente o compromisso de diferentes atores da sociedade civil na prática do esporte, junto a escolas católicas e a comunidades religiosas, no caminho de promoção da paz. Já no dia 23 de junho, acontecerá o congresso “O esporte como promotor da Paz e do Desenvolvimento Humano”, no Museu do Amanhã, cujo objetivo é ser instância de reflexão, promoção e compromisso para os legados que permanecerão após os Jogos Olímpicos.

Nesta data, haverá também a premiação da Medalha de Valores, que vai homenagear pessoas promotoras da solidariedade por meio da doação na Alemanha. A campanha visa incentivar valores que muitas vezes estão imbuídos da cultura do esporte, mas não ultrapassam a barreira dos Jogos para se instalarem como cultura local. Na ocasião, também será construída a carta conjunta na intenção de um maior legado humano e terá início a contagem regressiva para o evento “100 dias de Paz”, que será realizado entre os dias 5 de agosto e 18 de setembro, na Paróquia São Marcelino, na Barra da Tijuca.

Para esse evento, 200 jovens formados pela Comunidade do Caos à Glória atuarão durante os sete finais de semana dos períodos olímpico e paralímpico, evangelizando turistas em vários idiomas em diversos pontos da cidade.






Matéria retirada do site:

Trabalhadores cristãos defendem direitos em meio a crise

abr 27, 2016


O Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos (MMTC) divulgou sua mensagem por ocasião do Dia do Trabalho, celebrado em 1º de maio.

No texto, o Movimento fala da crise financeira mundial e denuncia o “projeto” de combatê-la com a redução dos salários e dos direitos trabalhistas.

“Em todo o mundo, o capital tem um projeto claro para sair da crise: diminuir os preços de matérias-primas e reduzir os salários e direitos dos trabalhadores a fim de garantir o aumento da sua taxa de lucro”, refere o documento.

Para os responsáveis da organização, a opção por esta saída da crise “debita todos os sacrifícios e perdas na conta dos trabalhadores”.

Por sua vez, o Movimento recorda que o trabalho é um “direito humano”, e reforça os direitos fundamentais como “terra, teto, trabalho, salário, saúde e educação”. A crise econômica, prossegue a mensagem, desdobra-se em outras crises, como a ambiental e a “crise de valores” e acirra a crise social.

A nota recorda ainda situações como a crise dos migrantes, deslocados e refugiados, o trabalho escravo, o tráfico de pessoas e a exploração infantil, bem como o “grave acontecimento” das perseguições religiosas contra cristãos.

Por Rádio Vaticano






Matéria retirada do site:

Marcha pela Vida reunirá fiéis cariocas no Dia do Trabalhador

abr 27, 2016



A Arquidiocese do Rio de Janeiro promove nesse domingo, 1º de maio, Dia do Trabalhador, a 4ª edição da Marcha pela Vida contra o aborto. O evento acontecerá na praia de Copacabana a partir das 14h.

Em consonância com o feriado, a manifestação pelo Movimento Brasil sem Aborto terá como tema “Protegendo o trabalhador do futuro”. Segundo os organizadores, a expectativa é de reunir cerca de 5 mil pessoas.

A concentração do público será em frente à rua Miguel Lemos (estação de metrô Cantagalo), que partirá com destino ao Leme.

O Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Orani João Tempesta, em uma mensagem em vídeo, convidou os cristãos a participar da Marcha.

“Vamos manifestar que nós somos a favor da vida em todas as circunstancias e que a vida humana é coisa mais bela que temos na face da Terra, que queremos valorizá-la desde a concepção até a morte natural passando pela dignidade humana, valores humanos cada vez mais”, disse o purpurado. (LMI)

Por Gaudium Press, com Arquidiocese do Rio de Janeiro







Matéria retirada do site:

Rosa De Saron - Perto, Longe ou Depois - Lyric Video

terça-feira, 26 de abril de 2016

Assista o Programa Além da Notícia, em entrevista com Padre Moacir Anastácio

LINK PARA VER O VÍDEO
http://1080.plus/PE_MOACIR_ANAST%C3%81CIO_by_al%C3%A9m_da_not%C3%ADcia_Bras%C3%ADlia/mM656TPbpew.video

Acompanhe a Semana de Pentecostes 2016 pelo YouTube

A Revista Renascidos em Pentecostes já chegou em seu lar?

26 Abril 2016


A paz, sócio evangelizador!

A Revista Renascidos em Pentecostes já chegou em seu lar?

Solicitamos a você sócio colaborador, que atualize os seus dados junto a nossa equipe. É muito importante a atualização dos seus dados para que continue recebendo este importante instrumento de evangelização.

Para atualizar os seus dados você pode ligar no número: (61) 3027-4433 ou enviar e-mail para:revista@renascidosempentecostes.com.br.

Que Deus abençoe a sua doação.






Matéria retirada do site:

6º Encontro Jovens Promotores da Vida na capital do Brasil

A formação é uma iniciativa da Comissão de Bioética e Defesa da Vida da Arquidiocese de Brasília e do grupo Promotores da Vida

26 ABRIL 2016


Foto: Promotores Da Vida


Começa no próximo dia 29 de abril e vai até o 1º de maio o 6º Encontro Jovens Promotores da Vida no Mosteiro de São Bento, em Brasília.

O encontro é uma oportunidade para os participantes aprofundarem – com base no Magistério da Igreja – os conhecimentos sobre temas atuais e polêmicos relacionados à vivência da fé cristã, como aborto, pesquisas com células-tronco, sexualidade e dignidade da pessoa humana.

A formação é uma iniciativa da Comissão de Bioética e Defesa da Vida da Arquidiocese de Brasília e do grupo Promotores da Vida.


Com início marcado para as 19h de sexta-feira, o evento tem como público-alvo jovens a partir de 18 anos. O valor da inscrição é de R$ 150,00* p/ cada jovem. (Pernoite e alimentação incluídos)

Para maiores informações envie um email para: e-mail:contato@promotoresdavida.org.br






Matéria retirada do site:

O Papa denuncia o clericalismo e a criação de uma “elite laical”

Em carta dirigida publicada hoje, dirigida ao Exmo. Card. Marc Ouellet, Francisco reflete sobre a participação pública dos leigos na vida dos povos latino-americanos

26 ABRIL 2016


Www.Comunicacioncelam.Org


Em carta dirigida ao Exmo. Card. Marc Ouellet, presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, o Papa Francisco refletiu sobre a participação pública dos leigos na vida dos povos latino-americanos, tema este abordado no encontro do pontífice com os membros participantes da Assembleia da Pontifícia Comissão para a América Latina e do Caribe, ou seja, o “indispensável compromisso dos fieis leigos na vida pública dos países latino-americanos”.

Francisco partiu de um olhar para o povo santo de Deus, entendendo que “um pai não se entende a si mesmo sem os seus filhos. Pode ser um excelente trabalhador, profissional, esposo, amigo, mas o que o torna pai tem rosto: são os seus filhos. O mesmo acontece conosco, somos pastores. Um pastor não se concebe sem um rebanho que está chamado a servir”.

Por tanto, refletir nos leigos significa sair das belas frases e passar para a ação. É reconhecer que todos entramos na Igreja como leigos. “Ninguém foi batizado sacerdote ou bispo”, esclareceu o papa.

Um dos principais erros – já denunciado em outras ocasiões pelo bispo de Roma – é o do clericalismo. Esta atitude anula a personalidade dos cristãos e tem a tendência de diminuir e desvalorizar a graça batismal, segundo Francisco. “O clericalismo se esquece de que a visibilidade e a sacramentalidade da Igreja pertence a todo o Povo de Deus e não só a uns poucos eleitos e iluminados”

Contudo o papa destaca nessa carta que a religiosidade popular tem sido um dos poucos lugares livres do clericalismo. Apontou, assim, que “Uma ação que não fica ligada à esfera íntima da pessoa mas, pelo contrário, se transforma em cultura”.

O pastor tem, portanto, a missão de acompanhar o leigo, mas não de atuar no lugar dele. Escreveu o pontífice:

“Nunca é o pastor que deve dizer ao leigo o que deve ou não dizer. Eles sabem o mesmo ou até mais do que nós. Não é o pastor que deve determinar o que o leigo deve dizer nos diversos âmbitos. Como pastores, unidos ao nosso povo, devemos perguntar-nos como estamos estimulando e promovendo a caridade e a fraternidade, o desejo do bem, da verdade, e da justiça. Como fazemos para que a corrupção não crie raízes nos nossos corações”

Erroneamente criamos uma ‘elite laical’ – afirmou o Papa – acreditando que só são leigos comprometidos aqueles que trabalham em “coisas de padres” e esquecemos, descuidamos do fiel que muitas vezes queima a esperança na luta diária por viver a fé”

O pastor, assim, está sempre “discernindo com o nosso povo e nunca pelo nosso povo ou sem o novo povo”.

Nesse sentido, “A enculturação é um trabalho de artesãos e não uma fábrica de produção em série de processos que se dedicariam a “fabricar mundos ou espaços cristãos”.

A principal tarefa dos pastores é a de cuidar especialmente de duas memórias, segundo Francisco: a memória de Jesus Cristo e a memória dos antepassados porque “Perder a memória é desenraizar-nos de onde viemos e, por conseguinte, não saberemos para onde vamos”

Por fim, Francisco destacou o papel da família na vida de fé dos leigos. “Foi no silêncio da vida familiar onde a maioria de nós aprendeu a rezar, amar, viver a fé”.






Matéria retirada do site:

Os santos católicos mais populares do Brasil

26 de abril de 2016



Sr.ª da Conceição Aparecida


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 12 de outubro.

A imagem de Nossa Senhora Aparecida apareceu para os pescadores Domingos Garcia, Felipe Pedroso e João Alves em outubro de 1717.



Santo Antônio de Pádua


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 13 de junho.

O seu processo de canonização foi o mais rápido da história da igreja. A repercussão de sua morte, e os milagres operados, fez com que ele, onze meses depois, tenha sido canonizado pelo Papa Gregório IX em 1232.



Sr.ª da Conceição


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 8 de dezembro.

A Imaculada Conceição de Maria é um dogma da Igreja definido no século XIX, o qual se crê que a Virgem Maria foi preservada do pecado original desde o primeiro instante de sua existência.



São Sebastião


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 20 de janeiro.

São Sebastião foi um soldado romano que foi martirizado por professar e não renegar a fé em Jesus Cristo. Ele teria se alistado ao exército romano com a intenção de afirmar e fortalecer o coração dos cristãos, enfraquecidos diante das torturas. Seu culto nasceu no século IV.



São José


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 19 de março.

São José foi esposo da Virgem Maria e pai adotivo de Jesus Cristo. Descendente da casa real de Davi, ele integra a sagrada família. Foi inserido no calendário litúrgico romano em 1479.



São João


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 24 de junho.

São João, ou São João Batista, pregou a conversão e o arrependimento dos pecados, por meio do batismo. Ele batizava o povo e anunciou a vinda do Messias com o intuito de trazer a salvação aos cristãos.



São Pedro


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 29 de junho.

São Pedro foi pescador e seu nome de nascimento era Simão. Após conhecer Jesus, tornou-se discípulo e depois apóstolo. Foi nomeado por Jesus como Pedro, que significa “a pedra onde a igreja encontra sua unidade”, o que ficou claro quando ele veio a ser o primeiro Papa da Igreja.



Sr.ª de Fátima


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 13 de maio.

A primeira Aparição de Nossa Senhora de Fátima foi em 1917. As crianças Lúcia, Francisco e Jacinta estavam brincando quando a avistaram. No total, foram sete aparições de Nossa Senhora, todas no dia 13 de cada mês.



Sr.ª das Graças


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 27 de novembro.

Sr.ª das Graças fez sua aparição em 1830 para a Santa Catarina Labouré, freira da Congregação das Filhas da Caridade. Ela apareceu mostrando anéis de pedras preciosas e, em torno da Virgem, formou-se uma moldura ovalada, no alto da qual estava escrita, em letras de ouro, uma bela jaculatória.



Santa Ana


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 26 de julho

Santa Ana ou Sant’Ana, da família do Sacerdote Aarão, casou-se com São Joaquim e foi escolhida por Deus para mãe da Virgem Imaculada e, consequentemente, avó de Jesus.



São Jorge


A comemoração em sua homenagem ocorre no dia 23 de abril

São Jorge foi um soldado cristão do Império Romano no século IV. Conhecido como o Santo Guerreiro, foi perseguido, preso e ameaçado. Ele preferiu renunciar à própria vida ao invés de renunciar ao seu amor por Cristo.








Matéria retirada do site:
http://catolicos.vialumina.com.br/index.php/os-santos-catolicos-mais-populares-do-brasil/

Link encurtado: http://adf.ly/1Zq57V/temas-interessantes

237.000 visualisaçoes! Agradecemos, de coração!

Olá, pessoal!

Agradecemos o carinho e atenção que todos vocês dão ao Blog TEMAS INTERESSANTES!!!


Cada dia nossa audiência não pára de crescer! Que todos vocês possam continuar nos caminhos de Deus, a aprendendo cada dia mais notícias, informações e conhecimentos que nos levem a Deus!!!

Divulgue e ajude também o Blog TEMAS INTERESSANTES!!! Deus recompensa e ama quem dá com alegria! Nenhuma atitude pra Deus fica sem recompensa!



QUE DEUS ABENÇOE A TODOS!!! FIQUEM COM DEUS!!!











Lições de cidadania

abr 22, 2016Artigos0Curtir




Os cenários não são inspiradores quando se constata a violência crescente na sociedade brasileira. São números de uma nação em guerra. Também é aflitivo o aumento do desemprego e não menos desoladora é a sensação que nasce a partir de uma pergunta ainda sem resposta: como vai ser o desfecho de toda essa situação política e econômica que caracteriza o atual momento do Brasil? Esse sentimento de desolação torna-se mais forte diante da espetacularização do que se passa no recôndito do parlamento. Nesse âmbito, o que se verifica são manifestações sem qualquer ordenamento, comparáveis às que ocorrem nos estádios esportivos. Os estádios são o lugar de entusiasmadas manifestações, da informalidade, local de explosões de alegrias e de conquistas, diante de um adversário que apenas é o outro time, derrotado naquela oportunidade, mas que pode reverter o placar em partida que ocorrerá pouco tempo depois. Já o parlamento exige conduta diferente, pois é âmbito que reúne os representantes da sociedade. Nas ruas, a população deu lições a esses representantes, quando fez vir à tona traços qualitativos de civilidade e de nobreza, no uso do sagrado direito de divergir, mantendo a urbanidade.

O povo indicou para os que estão no exercício do poder a necessidade de atitudes bem diferentes das que se restringem aos gestos, palavras e posturas de intolerância e de acirradas disputas, fora do território da nobreza que configura a autêntica cidadania. A população pede mudanças urgentes e respostas novas com incidência nas dinâmicas, funcionamentos e rumos da sociedade, particularmente no âmbito da economia e da política. As manifestações nas ruas apontam a inépcia dos que governam. São o grito que pede aos que detêm poder novas posturas, marcadas pela nobreza de ocupar lugares e postos exclusivamente para promover o bem comum. Não há espaço para interesses mesquinhos e partidários, que alimentam a corrupção e a insensibilidade.

A pluralidade das manifestações do povo brasileiro nas ruas, domingo passado, é broto de esperança na recuperação e na consolidação de uma cidadania que pode reverter os quadros deprimentes das crises instauradas. No contexto da atitude tolerante e respeitosa entre diferentes estão, incontestavelmente, hospedados outros valores e princípios que precisam vir mais à tona, ocupando os espaços da consciência para alicerçar condutas que façam jus à história e à índole do povo brasileiro. Essa luz no fim do túnel exige das classes dirigentes, dos formadores de opinião, dos detentores de poder na economia e na intelectualidade, posturas corajosas, marcadas pela generosidade e capacidade para o diálogo.

O povo não quer espetáculos nas suas casas de representação, mas seriedade, inteligência e urbanidade. A população não busca “salvadores da pátria”, mas representantes que, na luta de cada dia, se empenhem para fazer o bem, sem manipulações. A lição dada pelo povo nas ruas, para além de qualquer romantismo, comprova o poder transformador do desejo de se fazer o bem. Que a presença cidadã do povo nas ruas, augurada como atitude permanente na travessia crítica desse momento político, mexa no mais fundo da consciência de todos, particularmente dos representantes e servidores do povo. Isso certamente ajudará a dissipar truculências, arbitrariedades, autoritarismos e desavergonhadas defesas de atitudes que estão na contramão da verdade, do bem e da justiça.

Continue o povo a cultivar e a testemunhar lições de cidadania, mesmo em momentos mais críticos e tensos, para inspirar e exigir dos que são seus representantes no exercício do poder a se fazerem eternamente aprendizes. E que a classe política não deixe secar a fonte da sabedoria que faz a vida ter sentido – ela deve ser vivida como oportunidade para servir o outro, não a interesses próprios ou partidários. Sejam os representantes do povo aprendizes para buscar o bem comum, caminho de reconstrução da cidadania.

Por Dom Walmor Oliveira de Azevedo – Arcebispo de Belo Horizonte (MG)







Matéria retirada do site:

CCM oferece aprimoramento em português para missionários estrangeiros

abr 26, 2016




Com o objetivo de contribuir para a vivência e inserção de missionários estrangeiros no Brasil, o Centro Cultural Missionário (CCM) oferece, de 3 a 29 de julho, o Curso de Aprimoramento em Língua Portuguesa. O curso será na sede do CCM, em Brasília.

A formação é destinada a missionárias e missionários que já falam português e vivem no país. Para iniciantes, é proposto outro curso básico ministrado pelo Centro de Formação Intercultural (Cenfi).

O curso será na sede do CCM, em Brasília. É cobrada taxa de participação, que inclui material didático do curso, hospedagem e alimentação.

De acordo com a coordenação, o estudo e aprendizagem das línguas são tarefas fundamentais para o missionário. “Trata-se de um processo de primária aculturação e requer força de vontade para uma imersão na cultura e na realidade de um povo. Sem dúvida, falar bem a língua do povo é condição indispensável para qualquer ação evangelizadora, na qual a palavra se torna veículo essencial para falar ao coração”.

A formação é dividida em quatro habilidades, sendo compreensão auditiva, produção oral, compreensão textual e produção escrita. Durante o curso, haverá, ainda, tardes culturais e pastorais sobre a realidade brasileira, com oportunidade para debates, esclarecimentos, interações e aprofundamento.


Por CNBB






Matéria retirada do site:

O amor em família gera alegria

abr 25, 2016Artigos0Curtir



A carta do papa Francisco às famílias,Amoris laetitia, é um belo itinerário para viver a alegria do amor no lar de das famílias do mundo inteiro. O próprio papa faz um resumo: “No desenvolvimento do texto, começarei por uma abertura inspirada na Sagrada Escritura, que lhe dê o tom adequado. A partir disso, considerarei a situação atual das famílias, para manter os pés no chão. Depois lembrarei alguns elementos essenciais da doutrina da Igreja sobre o matrimônio e a família, seguindo-se os dois capítulos centrais, dedicados ao amor. Em seguida destacarei alguns caminhos pastorais que nos levem a construir famílias sólidas e fecundas segundo o plano de Deus, e dedicarei um capítulo à educação dos filhos. Depois deter-me-ei em um convite à misericórdia e ao discernimento pastoral perante situações que não correspondem plenamente ao que o Senhor nos propõe; e, finalmente, traçarei breves linhas de espiritualidade familiar” (n. 6).

Francisco recorda que a Sagrada Escritura está repleta de histórias de famílias com suas alegrias, belezas e dificuldades, sem que essa instituição perca o seu brilho. A expressão “Tu e tua esposa”, ou seja, o homem e a mulher, terem seus filhos e filhas como brotos de oliveira ao redor de tua mesa (cf. Sl 128/127,3); as primeiras comunidades cristãs se reúnem em casas, local da convivência familiar por excelência. Na família que ocorrem também experiências dolorosas de brigas, doenças e mortes, mas, no fim dos tempos, Deus enxugará nossas lágrimas e não haverá mais morte ou dor (cf. Ap 21,4). No ambiente familiar com suas cruzes, é superado pelo esforço diário do convivo material e espiritual, do trabalho e do carinho de um abraço, compromisso de todos.

A essência do Matrimônio está em “aperfeiçoar o amor dos cônjuges”, para isso são apresentadas alguns pontos essenciais extraídos da Carta de Paulo aos Coríntios (13,4-7): paciência, atitude de serviço, cura da inveja, combater o orgulho e a arrogância, ser amável, desprender-se de si mesmo, não guardar violência interior, perdoar, alegrar-se com os outros; desculpar-se, confiar, esperar, suportar-se, bem como crescer na caridade conjugal tendo tudo em comum, valorizando a alegria e a beleza da vida a dois que leva a se casar por um amor que se manifesta e cresce a cada dia, dialoga, se apaixona, navega pelas fantasias lícitas, sente alegria nos filhos, vive a dimensão erótica do amor conjugal, combate a violência e a manipulação e não menospreza, ao lado do casamento santo, a vida una e indivisa da virgindade e do celibato nem deixa que o amor se transforme com o passar dos anos em que as aparências físicas não são as mesmas: o amor não cria rugas como o corpo.

Diz o papa: “Se uma criança chega ao mundo em circunstâncias não desejadas, os pais ou os outros membros da família devem fazer todo o possível para aceitá-la como dom de Deus e assumir a responsabilidade de acolhê-la com carinho”. A Igreja louva as famílias numerosas, mas pede responsabilidade na geração dos filhos a fim de que não se coloque no mundo uma criança que passará graves necessidades. Pede ainda a valorização da gravidez com o amor da mãe e do pai àquela criança, bem como exorta ao que se chama de “paternidade alargada”, ou seja, ser pai ou mãe não é apenas um fato biológico, mas do coração. Daí, as adoções, o cuidado com os abandonados e frágeis. A vida familiar bem vivida é caminho de santificação, na oração comum e diária, ainda que breve, entre os cônjuges e com os filhos, resplenderá a luz do Cristo ressuscitado. O ponto alto da oração na vida matrimonial é a Eucaristia.

Que Deus abençoe todas as famílias. Vamos viver o amor nas nossas famílias e gerar alegria para toda a sociedade.

Por Dom Anuar Battisti – Arcebispo de Maringá-PR







Matéria retirada do site:

Papa presidirá Vigília de Oração “Para enxugar as lágrimas”

abr 26, 2016Vaticano0Curtir



Enxugar os rostos banhados por lágrimas de um sofrimento físico ou espiritual, trazendo consolação e esperança. Este é o objetivo da Vigília de Oração para “enxugar as lágrimas”, a ser presidida pelo Papa Francisco no dia 5 de maio na Basílica de São Pedro. O evento será retransmitido pela Rádio Vaticano, com comentários em português, a partir das 12h50min, horário de Brasília.

O evento jubilar quer ser sinal visível da misericórdia do Pai, que estende suas mãos para enxugar as lágrimas de uma mãe ou de um pai que perderam um filho, de um filho que perdeu um pai, de quem enfrenta uma doença ou perdeu o trabalho ou não encontra um, de quem vive situações de discórdia na família e de quem sente solidão porque tem idade avançada, de quem sofre um desconforto existencial, de quem sofreu algum tipo de injustiça, de quem perdeu o sentido da própria vida ou não consegue encontrar um. São tantos, e de todos os tipos, os pequenos ou grandes sofrimentos que cada um traz dentro de si, mas todos certamente têm em comum um “desgaste” no viver e, frequentemente, da falta de esperança e de confiança.

Consolar os aflitos, uma das sete obras de misericórdia espiritual, é o coração deste grande evento jubilar, voltado a todos, mas em particular àqueles que sentem no fundo da alma a necessidade de uma palavra que traga apoio, força e consolação.

Por ocasião da vigília será exposto para a veneração dos fieis na Basílica de São Pedro o relicário de Nossa Senhora das Lágrimas de Siracusa, ligado ao prodigioso fenômeno ocorrido em 29 de agosto e em 1º de setembro de 1953, quando um trabalho em gesso, representando o Coração Imaculado de Maria, colocado sobre o leito matrimonial, na casa de um jovem casal de esposos – Angelo Iannuso e Antonina Giusto – derramou lágrimas humanas. O relicário contém parte das lágrimas brotadas milagrosamente da imagem de Nossa Senhora.

As lágrimas de Maria são sinal do amor materno e da participação da Mãe nos acontecimentos que envolvem a vida de seus filhos. Por esta razão, elas estarão na Basílica durante a Vigília, como que para encorajar, consolar, guiar aqueles que passam por provações, a entregarem-se a Virgem Maria sem reservas e com a confiança de filhos, precisamente no mês a ela dedicado.

Os bilhetes de ingresso podem ser retirados – de forma gratuita – no Centro de Acolhida de Peregrinos na Via da Conciliação, n. 7. Maiores informações no site do Jubileu da Misericórdia.

Por Rádio Vaticano






Matéria retirada do site:

Memorizar a Bíblia ? Como estudar a bíblia em 12 Passos

Publicado em 25 de Abril de 2016 às 23h





Memorizar a Bíblia – Como estudar a bíblia em 12 Passos

Como Memorizar Versículos da Bíblia! Há muitos benefícios em memorizar as Escrituras. Quando estiver em uma situação difícil, saber o que Deus disse pode ajudá-lo a superar qualquer obstáculo. Nos EUA existe até competições de memória da Bíblia nas quais você pode competir para ganhar US$ 100.000! Mas isto é apenas uma curiosidade, o mais importante é a transformação que a Palavra de Deus pode trazer pra sua vida e para o seu próximo. Então, como decorar os versículos da Bíblia?
Como Memorizar Versículos da Bíblia – Passo a Passo

1- Vá para um lugar calmo, como o seu quarto, onde você não seja interrompido por outras pessoas. Sinta-se confortável. Escore algumas almofadas, se você preferir. O ideal é que não deve haver qualquer distração em potencial. Desligue o som e a TV e não atenda o telefone. Você precisa de concentração.

2- Peça a Deus para ajudá-lo a entender o que o versículo significa e Ajudá-lo a ser capaz de vivê-lo em sua vida diária. A oração é muito poderosa, mas você nunca vai saber o quanto Deus trabalha em sua vida até que você vá a Ele diariamente com o que está lhe preocupando.

3- Memorize a referência. Diga o versículo em voz alta, incluindo a referência (por exemplo, João 3:16) uma vez no início e uma vez no final. Dessa forma, você vai memorizar a referência mais rapidamente.

4- Repita o versículo em voz alta. Varie a velocidade em que você recita. Concentre-se em pronunciar cada palavra claramente.

5- Concentre-se nas palavras-chave. Se você está memorizando João 3:16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, as palavras-chave seriam “Deus”, “amou”, “mundo”, “Filho”, “todo aquele”, “crê”, “pereça”, “vida” e “eterna”. Agora junte-as falando o versículo inteiro.

6- Jogue um jogo de memória. Escreva o versículo em uma lousa. Certifique-se de que você pode ler o que escreveu. Leia o versículo algumas vezes, em seguida, apague 2 palavras de cada vez. Continue dizendo o versículo até que todas as palavras sejam apagadas. Se você for capaz de dizê-lo perfeitamente sem palavras no quadro, se dê os parabéns.

7- Repita esse passos diariamente. Recite versículos em sua cabeça enquanto você está no supermercado. Diga em voz alta enquanto você passeia com o cachorro. Quando você achar que decorou, recite-o para sua família e amigos!

8- Escreva-os em cartões com canetas coloridas. Cole-os em seu quarto em lugares que você frequente ou observa por mais tempo (sua cama, acima de seu interruptor de luz, em seu espelho do banheiro, etc.)

9- Estude versículos que lhe prometem uma boa memória como João 14:26, 1 João 2:20, 1 Coríntios 1:5, Provérbios 10:7, 1 Coríntios 2:16, Hebreus 8:10, Salmos 19

10- Para cada vez que você ler mentalmente, leia mais 5 vezes em voz alta.

11- Transfere o versículo em uma canção e cante-a sempre que puder

12- Se Puder, Clique Aqui e Faça o Curso de Memorização da Bíblia e Obtenha mais Conhecimentos sobre a Bíblia







POR FAVOR, CLIQUE NO LINK ABAIXO E VÁ PARA A PÁGINA FONTE:

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Orientações doutrinais para um discernimento pastoral

Reflexão sobre a Amoris Laetitia do Prof. Mons. Ángel Rodríguez Luño, decano da faculdade de teologia da Pontifícia Universidade da Santa Cruz, em Roma
25 ABRIL 2016



Publicamos abaixo um artigo enviado a ZENIT pelo Prof. Mons. Ángel Rodríguez Luño, decano da faculdade de teologia da Pontifícia Universidade da Santa Cruz, em Roma.

***

A Exortação Apostólica Amoris laetitia oferece as bases para dar um novo e muito necessário impulso à pastoral familiar em todos os seus aspectos. O capítulo VIII se re­fere às delicadas situações em que a debilidade hu­mana mais se evidencia. A linha proposta pelo Papa Francisco pode resumir-se com as palavras que compõem o título do capítulo: “Acompanhar, discernir e integrar a fragilidade”. Somos convidados a evitar os julgamentos sumários e as atitudes de rechaço e exclusão, e a assumir, em vez disso, a tarefa de discernir as diferentes situações, empreendendo com os interessados um diálogo sincero e cheio de misericórdia. “Trata-se de um itinerário de acompanhamento e discernimento que ‘orienta estes fiéis na tomada de consciência da sua situação diante de Deus. O diálogo com o sacerdote, no foro interno, concorre para a formação dum juízo correto sobre aquilo que dificulta a possibilidade duma participação mais plena na vida da Igreja e sobre os passos que a podem favorecer e fazer crescer. Uma vez que na própria lei não há gradualidade (cfr.Fa­miliaris consor­tio, 34), este discernimento não poderá jamais prescindir das exigências evangélicas de verdade e caridade propostas pela Igreja. ‘”[1]. Parece útil recordar alguns pontos que convém ter em conta para que o processo de discernimento seja conforme o ensinamento da Igreja[2], o que o Santo Padre pressupõe e de modo algum desejou alterar.

Pelo que concerne aos sacramentos da Penitência e da Eucaristia, a Igreja ensinou sempre e em todo lugar que “quem tem consciência de estar em peca­do grave deve receber o sacramento da Reconciliação antes de comungar”[3]. A estrutura fundamental do sacramento da Reconciliação “compreende dois elementos igualmente essenciais: de um lado, os atos do homem que se converte sob a ação do Espírito Santo, a saber, a contrição, a confissão e a satisfação; de outro lado, a ação de Deus por intermédio da Igreja.”[4]. Se faltasse completamente a contrição perfeita ou imperfeita (atrição), que inclui o propósito de mudar de vida e evitar o pecado, os pecados não poderiam ser perdoados, e não obstante fosse dada a absolvição, esta seria inválida[5].

O processo de discernimento deve ser coerente também com a doutrina católica sobre a indissolubilidade do matrimônio, cujo valor e atualidade o Papa Fran­cisco enfatiza fortemente. A ideia de que as relações sexuais no contexto de uma segun­da união civil são lícitas implica que essa segunda união fosse considerada um verdadeiro matrimônio, e nesse caso se entraria em contradição objetiva com a doutrina sobre a indissolubilidade, segundo a qual o matrimônio válido e consumado não pode ser dissolvido, nem sequer pelo poder vicarial do Romano Pontífice[6]; se, em vez disso, se reconhecesse que a segunda união não é verdadeiro matrimônio, porque o verdadeiro matrimônio é e continua sendo somente o primeiro, então se aceitaria um estado e uma condição de vida que “contradizem objetivamente aquela união de amor entre Cristo e a Igreja, significada e atuada na Eucaristia”[7]. Se, ademais, a vida more uxorio na segunda união fosse considerada moral­mente aceitável, se negaria o princípio fundamental da moral cristã, segundo o qual as relações sexuais são lícitas somente dentro do matrimônio legítimo. Por essa razão, a Carta da Congregação para a Doutrina da Fé de 14 de setembro de 1994 dizia: “O fiel que convive habitualmente more uxorio com uma pessoa que não é a legítima esposa ou o legítimo marido, não pode receber a comunhão eucarística. Caso aquele o considerasse possível, os pastores e os confessores – dada a gravidade da matéria e as exigências do bem espiritual da pessoa e do bem comum da Igreja – têm o grave dever de adverti-lo que tal juízo de consciência está em evidente contraste com a doutrina da Igreja”[8].

O Papa Francisco recorda justamente que podem existir ações gravemente imorais sob o ponto de vista objetivo que, no plano subjetivo e formal, não sejam imputáveis ou não o sejam plenamente, devido à ignorância, ao medo ou a outros ate­nuantes que a Igreja sempre levou em conta. À luz desta possibilidade, não se poderia afirmar que quem vive em uma situação matrimonial assim chamada “irregu­lar” objetivamente grave esteja necessariamente em estado de pecado mortal[9]. A questão é delicada e difícil, porque sempre se reconheceu que “de internis neque Ecclesia iudicat”, sobre o esta­do mais íntimo da consciência nem sequer a Igreja pode julgar. Por isso, a Declaração do Conselho Pontifício para os Textos Legislativos acerca do cânon 915, citada pelo Papa Francisco[10], na qual se dizia que a proibição de receber a Eucaristia compreende também os fiéis divorciados que voltaram a casar, foi muito cuidadosa em preci­sar o que deve entender-se por pecado grave no contexto desse cânon. O texto da Declaração diz: “A fórmula ‘e outros que obstinadamente perseverem em pecado grave manifesto’ é clara e deve ser compreendida de modo a não deformar o seu sentido, tornando a norma inaplicável. As três condições requeridas são: a) o pecado grave, entendido objetivamente, porque da imputabilidade subjetiva o ministro da Comunhão não poderia julgar; b) a perseverança obstinada, que significa a existência de uma situação objetiva de pecado que perdura no tempo e à qual a vontade do fiel não põe termo, não sendo necessários outros requisitos (atitude de desacato, admonição prévia, etc.) para que se verifique a situação na sua fundamental gravidade eclesial; c) o carácter manifesto da situação de pecado grave habitual.”[11].

A mesma Declaração esclarece que não se encontram nessa situação de pecado grave habitual os fiéis divorciados que voltaram a casar que, não podendo interromper a convivência por causas graves, se abstêm dos atos próprios dos cônjuges, permanecendo a obrigação de evitar o escândalo, posto que o fato de não viverem more uxorio é oculto[12]. Fora esse caso, em atenção pastoral a esses fiéis, será preciso considerar também que parece muito difícil que aqueles que vivem em uma segunda união tenham a certeza moral subjetiva do estado de graça, pois somente mediante a interpretação de sinais objetivos esse estado poderia ser conhecido pela própria consciência e pela do confessor. Ademais, seria preciso dis­tinguir entre uma verdadeira certeza moral subjetiva e um erro de consciência que o confessor tem a obrigação de corrigir, como se disse antes, já que na administração do sacramento o confessor é não somente pai e médico, mas também mestre e juiz, tarefas todas essas que certamente há de cumprir com a máxima misericórdia e delicadeza, e bus­cando antes de tudo o bem espiritual de quem busca a confissão.

Os aspectos doutrinais mencionados, que pertencem ao ensinamento multissecular de a Igreja, e muitos deles ao Magistério ordinário e universal, não devem im­pedir os sacerdotes de empenhar-se com espírito aberto e coração grande em um diálogo cordial de discernimento. Como escreveu o Papa Francisco, trata-se de “evitar o grave risco de mensagens equivocadas, como a ideia de que algum sacerdote pode conceder rapidamente ‘exceções’, ou de que há pessoas que podem obter privilégios sacramentais em troca de favores. Quando uma pessoa responsável e discreta, que não pretende colocar os seus desejos acima do bem comum da Igreja, se encontra com um pastor que sabe reconhecer a seriedade da questão que tem entre mãos, evita-se o risco de que um certo discernimento leve a pensar que a Igreja sustente uma moral dupla”[13]. Pelo contrário, sabendo que a variedade das circunstâncias particu­lares é muito grande, como muito grande é também sua complexidade, os princípios doutrinais antes mencionados deveriam ajudar a discernir o modo de ajudar às pesso­as interessadas em empreender um caminho de conversão que lhes conduza a uma maior integração na vida da Igreja e, quando seja possível, a recepção dos sacra­mentos da Penitência e da Eucaristia.

Mons. Angel Rodríguez Luño, Professor ordinário de teologia moral fondamental na Pontificia Università della Santa Croce, em Roma.

Trad.: Viviane da Silva Varela.



[1] Francisco, Exortação Apostólica Pós-sinoidal Amoris laetitia, 19-III-2016, n. 300. A nota interna é do n. 86 da Relação final do Sínodo de 2015.

[2] O Santo Padre assim o disse explicitamente em Amoris laetitia, n. 300.

[3] Catecismo da Igreja Católica, n. 1385.

[4] Catecismo da Igreja Católica, n. 1448.

[5] Cfr. Catecismo da Igreja Católica, nn. 1451-1453; Concilio de Trento, Sess. XIV, Doutrina do sacramento da penitência, cap. 4 (Dz-Hü 1676-1678).

[6] São João Paulo II, em seu discurso à Rota Romana, de 21-I-2000, n. 8, declarou que essa doutrina é definitiva.

[7] São João Paulo II, Exortação Apostólica Familiaris consortio, 22-XI-1981, n. 84.

[8] Congregação para a Doctrina da Fé, Carta aos bispos da Igreja Católica acerca da recepção da Co­munhão eucarística por parte dos fiéis divorciados que voltaram a se casar, 14-IX-1994, n. 6.

[9] Cfr. Francisco, Amoris laetitia, n. 301.

[10] Cfr. Ibid., n. 302.

[11] Conselho Pontifício para os Textos Legislativos, Declaração acerca da admissibilidade à Sagrada Comunhão dos divorciados que voltaram a se casar, 24-VI-2000, n. 2.

[12] Cfr. ibidem. Não é demais ter em conta que não se pode exigir que os fiéis que vivem em uma se­gunda união civil garantam absolutamente que nunca mais terão relações. Basta que tenham o sin­cero e firme propósito de absterem-se. Às vezes somente um dos cônjuges pode ter esse propósito. Nesse caso, segundo as circunstâncias e a idade, pode ser suficiente para que possa receber os sacramentos, tratando sempre de evitar o escândalo.

[13] Francisco, Amoris laetitia, n. 300.








Matéria retirada do site:

Papa Francisco: “A dimensão real do tempo não é a do relógio”

O pontífice escreve uma carta aos detentos de Velletri, prisão que visitou no dia 5 de março desse ano
25 ABRIL 2016



O Papa Francisco escreveu uma carta aos detentos de Velletri em resposta à mensagem recebida de Dom Marcello Semearo quando visitou a prisão no dia 5 de março desse ano.

“Não se fechem no passado; transformem-no em caminho de crescimento, de fé e de caridade. Deem a Deus a possibilidade de fazê-los brilhar através desta experiência”, afirma o pontífice na carta.

“Agradeço por pensarem em mim em meio às dificuldades da sua vida atual”, diz. “Confesso que eu também muitas vezes penso em vocês e nas pessoas que vivem nas prisões. “É por isso que quando faço visitas pastorais, peço sempre – quando é possível – para encontrar irmãos e irmãs como vocês, que vivem uma liberdade com limites, para levar o meu carinho e a minha proximidade”.

“Vocês vivem uma experiência na qual o tempo parece estar parado, parece que não passa nunca, mas a dimensão real do tempo não é a do relógio. Estejam certos de que Deus nos ama pessoalmente; para Ele a sua idade e cultura não têm importância, nem mesmo o que vocês foram, as coisas que fizeram, as metas que alcançaram, os erros que cometeram, as pessoas que feriram”.

“Na história da Igreja, muitos chegaram à santidade através de experiências duras e difíceis”, conclui o Papa, fazendo um convite aos detentos: “Abram a porta de seu coração a Cristo e será Ele a reverter a sua situação”.






Matéria retirada do site:

Orações diversas


Orações




Orações da Manhã

Consagração do Dia

"Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo,

Eu vos ofereço todos os meus pensamentos, palavras, obras e ações, alegrias e sofrimentos deste dia; tudo quanto eu fizer e padecer, descontados os meus pecados, seja tudo, ó meu Deus, para vossa Glória, pelo bem das almas do purgatório, em reparação das minhas faltas e em desagravo ao Sacratíssimo Coração de Jesus. Amém."

ou

Oferecimento do Dia

"Eu vos adoro, meu Deus, e vos amo de todo meu coração. Dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado nesta noite. Ofereço-Vos as ações deste dia; fazei que sejam todas segundo a vossa santa Vontade, para maior glória vossa. Preservai-me do pecado e de todo o mal. A Vossa Graça seja sempre comigo e com todos os que me são caros. Amém."

ou

Brevíssimo Oferecimento do Dia

"Todos os meus pensamentos, todas as minhas palavras e obras deste dia, eu vos ofereço, Senhor, e a minha vida inteira por amor. Amém."

e

Ao Anjo da Guarda

"Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, sempre me rege e guarda, governa e ilumina. Amém."

com

Oração para ganhar as indulgências do dia

"Tenho intenção e desejo de ganhar hoje todas as indulgências de que possa ser capaz, e as ofereço em satisfação dos meus pecados e em sufrágio pelas almas do Purgatório, especialmente as mais abandonadas. Amém."






Orações do Meio-Dia

Angelus

"O Anjo do Senhor anunciou a Maria 
E Ela concebeu do Espírito Santo.
Ave Maria…

Eis a escrava do Senhor.
Faça-se em mim segundo a Vossa Palavra.
Ave Maria…

E o Verbo divino se fez carne.
E habitou no meio de nós.
Ave Maria…

Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos
Infundi, Senhor, nós Vos pedimos, em nossas almas a Vossa Graça, para que nós, que conhecemos pela Anunciação do Anjo a Encarnação do Cristo, Vosso Filho, cheguemos por sua Paixão e sua Cruz à glória da Ressurreição. Pelo mesmo Jesus Cristo, Senhor Nosso. Amém."

ou (no Tempo Pascal, do Domingo de Páscoa até o do Pentecostes)

Regina Coeli (Rainha do Céu)

Rainha do Céu, alegrai-vos, aleluia.
Porque Quem merecestes trazer em vosso seio, aleluia.

Ressuscitou, como disse, aleluia.
Rogai a Deus por nós, aleluia.

Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, aleluia.
Porque o Senhor ressuscitou verdadeiramente, aleluia.

Oremos
Ó Deus, que vos dignastes alegrar o mundo com a ressurreição de vosso Filho Jesus Cristo, Senhor nosso, concedei-nos, vos suplicamos, que por sua Mãe, a Virgem Maria, alcancemos as alegrias da vida eterna. Pelo mesmo Cristo, Senhor Nosso. Amém."






Orações da Noite

Ação de Graças

Eu vos adoro, meu Deus, e Vos amo com todo o coração. 
Dou-Vos graças por me terdes criado, 
feito cristão e conservado neste dia. 
Perdoai-me as faltas que hoje cometi e, 
se algum bem fiz, aceitai-o. 
Guardai-me durante o repouso 
e livrai-me dos perigos. 
A vossa graça esteja sempre comigo 
e com todos os que me são caros. Amém.

Meu Deus, dai-me luz 
para conhecer os pecados que hoje cometi, 
as causas deles e os meios de os evitar.

ou

À Sagrada Família

Jesus, Maria e José, modelos perfeitíssimos de recolhimento, caridade e humildade, alcançai-nos a graça de imitarmos as sublimes virtudes que praticastes na terra e dignai-vos proteger a todos nós, que agora prostrados na vossa presença imploramos o vosso patrocínio.
Lembrai-vos, ó Jesus, Maria e José, de que somos inteiramente vossos; defendei-nos, pois, de todo e qualquer perigo, socorrei-nos em nossas necessidades e dai-nos graças para nos mantermos constantemente na imitação da vossa santa Família, a fim de que, servindo-vos fielmente na terra, possamos depois bendizer-vos por toda a eternidade no Céu. Amém.

e

Ao Anjo da Guarda

Anjo da Guarda, minha companhia, guardai a minha alma de noite e de dia.

com

Pelas Almas do Purgatório

Dai, Senhor, às almas que padecem no Purgatório, o eterno descanso, entre os esplendores da Luz perpétua. Descansem em paz. Amém.


Exame de Consciência para o Fim do Dia:

Deveres para com Deus: Lembrei-me de Deus durante o dia oferecendo-Lhe o meu trabalho, dando-Lhe graças, recorrendo a Ele com confiança de filho? Deixei-me vencer pelos respeitos humanos em algum momento? Fiz as minhas orações pausadamente com atenção e devoção?

Deveres para com o próximo: Tratei com dureza ou desprezo os demais? Tive a preocupação de ajudar os que me rodeiam, fazendo-lhes, além disso, a vida mais agradável? Preocupa-me também a sua vida religiosa? Fiz algum apostolado? Caí na murmuração? Sei perdoar? Rezei pelas pessoas que de algum modo me preocupam?

Deveres para comigo mesmo: Lutei pela minha própria santificação? Deixei-me levar por sentimentos de orgulho, vaidade, sensualidade? Esforcei-me por arrancar o meu defeito dominante? Recorri a Deus para que aumente em mim todas as virtudes e, especialmente, a fé, a esperança e a caridade?

Ato de contrição: Meu Deus, porque sois tão bom, tenho muita pena de vos ter ofendido. Ajudai-me a não tornar a pecar.



Diante do Santíssimo Sacramento

Senhor, eu vos adoro nesse Sublime Sacramento e vos reconheço por meu Criador, Redentor e Soberano Senhor, meu Único e Sumo Bem. Graças e louvores se dêem a todo momento, ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento!

-
Ação de Graças e Consagração

Pai Nosso;

Dou-vos graças pela vida que me destes,

Pela salvação da minha alma, que me ofereceis, 

Pela oportunidade infinitamente maravilhosa de participar da Sagrada Eucaristia, 

Por Maria Santíssima, 

Tabernáculo da Nova e Eterna Aliança, 

Por meus irmãos, os santos, do Céu e da Terra,

Pelo despertar a cada manhã, 

Pela saúde do meu corpo,

Da minha mente e da minha alma, 

Pelo alimento com que me sustentais

E pelo sustento das coisas deste mundo,

Pelo conhecimento das coisas sagradas, 

Que me concedeis a cada dia. 


Pela Intercessão do Sacratíssimo Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo, 

Ele, Deus Conosco, meu único Salvador e Redentor, 

Que, sendo Deus, se fez pequeno, 

E com tantas dores e angústias 

Resgatou da morte a sofredora e humilhada humanidade; 

Eu que sou indigno, 

Em união com a Santíssima Virgem Maria,

Consagro-vos a minha vida, 

E dedico-vos todas as minhas alegrias, obras,

Conquistas, dores e sofrimentos, 

Excluídos os meus pecados; 


Ofereço-os para a vossa Glória, 

Pelas almas que sofrem, neste e no outro mundo, 

Em reparação das minhas faltas, 

E dos muitíssimos pecados do mundo,

E por todas as intenções pelas quais o mesmo Divino Coração está continuamente intercedendo e sacrificando-se em nossos Altares. 

Em Nome do Cristo, Jesus, Amém, Amém."
-

Consagração do Dia

"Deus Pai, Deus Filho, Deus Espírito Santo,

Eu vos ofereço todos os meus pensamentos, palavras, obras e ações, alegrias e sofrimentos deste dia; tudo quanto eu fizer e padecer, descontados os meus pecados, seja tudo, ó meu Deus, para vossa Glória, pelo bem das almas do purgatório, em reparação das minhas faltas e em desagravo ao Sacratíssimo Coração de Jesus. Amém."
-

Ato de Contrição

"Senhor meu, Jesus Cristo, Deus e Homem verdadeiro, Criador, Redentor e Salvador meu, por serdes Vós quem sois, sumamente Bom, digno de ser amado sobre todas as coisas, e porque vos amo e estimo, pesa-me muito, de todo o meu coração, ter-vos ofendido e agravado; mas proponho-me firmemente, ajudado com os auxílios de Vossa Graça Divina, emendar-me e nunca mais voltar a ofender-vos, e espero alcançar o perdão das minhas culpas por Vossa Infinita Misericórdia. Amém."
-

Oração Reparadora de Fátima 

Santíssima Trindade, Pai, Filho, Espírito Santo, adoro-Vos profundamente e ofereço-Vos o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os Sacrários da Terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido.

E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores.
-

Ao Coração de Jesus

Ó Coração Sacratíssimo de Jesus, Fonte viva e vivificante de Vida Eterna, Tesouro infinito de Divindade, Fornalha ardente de Amor divino, vós sois o Lugar do meu descanso, o Refúgio da minha segurança.

Ó meu amável Salvador, inflamai o meu coração daquele Amor ardentíssimo do qual arde o vosso; derramai nele as inumeráveis graças de que o vosso Coração é a fonte.

Fazei que a vossa Vontade seja a minha e que a minha vontade seja eternamente conforme a vossa!

-
Oração pessoal para Antes de receber a Sagrada Comunhão

"Senhor Jesus Cristo, Filho do Deus Vivo, que cumprindo a Vontade do Pai e agindo com o Espírito Santo, pela vossa Morte destes vida ao mundo: livrai-me dos meus pecados e de todo mal; pelo vosso Corpo e pelo vosso Sangue, dai-me cumprir sempre a vossa Vontade e jamais separar-me de Vós! Amém."
-

Brevíssima oração pessoal para Antes de receber a Sagrada Comunhão

"Senhor Jesus Cristo, o vosso Corpo e o vosso Sangue, que vou receber, não se tornem causa de juízo e condenação; mas, por vossa Bondade, sejam Sustento e Remédio para minha vida! Amém." 
-

Oração para logo depois de receber a Sagrada Comunhão

Ficai comigo Senhor, porque é necessária vossa Presença para eu não vos esquecer; sabeis quão facilmente vos abandono. Ficai comigo Senhor, pois sou fraco e preciso de vossa Força para não cair tantas vezes. Ficai comigo Senhor, porque vós sois a minha Luz e sem vós fico nas trevas. Ficai comigo Senhor, pois vós sois minha vida e sem vós esmoreço no fervor. Ficai comigo Senhor, para me dares a conhecer vossa Vontade. Ficai comigo Senhor, para que ouça a vossa Voz e vos siga. Ficai comigo Senhor, pois desejo amar-vos sempre mais e estar sempre em vossa Companhia. Ficai comigo Senhor, porque na hora da morte quero ficar unido a Vós, pela Graça e pelo Amor. Não vos peço consolações divinas porque não as mereço, mas o Dom de vossa Presença, por vossa Misericórdia infinita. Ficai comigo Senhor, pois é só a Vós que procuro, e vosso Amor, vossa Graça, vossa Vontade e vosso Espírito, porque vos amo e não peço outra recompensa senão amar-vos mais. Amém!
(Pe. Pio de Pietrelcina)
-

Oração para Conhecer a Vocação

"Ó meu Deus, Deus de Sabedoria e Conselho, que vedes em meu coração o desejo de agradar somente a Vós, e de seguir vossos justos desígnios a meu respeito. Concedei-me, por intercessão da Santíssima Virgem Maria, minha Mãe, e de meu anjo e meus santos protetores, especialmente S. José, S, Pio X, S. Geraldo Majela e o Beato José de Anchieta, a graça de conhecer o estado que devo abraçar, e de o seguir depois de o ter conhecido, afim de que eu possa nessa situação buscar a Vossa Glória, conseguir a salvação e merecer a recompensa que prometestes àqueles que cumprem a Vossa Vontade. Assim seja. Amém."
-

Petição

"Meu Deus, eu creio em Vós, mas avivai a minha fé;
Espero em Vós, mas fortificai a minha esperança;
Amo-vos, mas aumentai o meu amor;
Pesa-me ser pecador, mas fazei que aumente mais e mais a minha consciência do pecado e o meu desejo de me aperfeiçoar sempre mais. Amém."
-

Alma de Cristo (Oração de Santo Inácio de Loyola)-

Alma de Cristo, santificai-me. Corpo de Cristo, salvai-me. Sangue de Cristo inebriai-me. Água do lado de Cristo, purificai-me. Paixão de Cristo, confortai-me. Ó bom Jesus, ouvi-me. Dentro de Vossas chagas, escondei-me. Não permitais que me separe de Vós. Do espírito maligno, defendei-me. Na hora da minha morte chamai-me e mandai-me ir para Vós, para que, com Vossos Santos e Anjos, a Santíssima Virgem Maria e São José, Vos louve por todos os séculos dos séculos. Amém. 
-

Introdução e Mistérios do Santo Terço 


Como rezar

1. Sinal da Cruz

2. Oração inicial (Oferecimento):
"Divino Jesus, eu Vos ofereço este Terço que vou rezar contemplando os mistérios de nossa Redenção. Concedei-me, pela intercessão de Maria, vossa Mãe Santíssima, a quem me dirijo, as virtudes que me são necessárias para bem rezá-lo e a graça de ganhar as indulgências anexas a esta devoção. Ofereço-Vos este Terço, particularmente, por..."

3. Oração Preparatória:
Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra.
Oremos: Ó Deus, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo Senhor Nosso. Amém.

4. Credo


5. Mistérios para cada dia (a contemplação de cada Mistério é feita rezando-se dez vezes a Ave-Maria e cada uma delas é precedida de um Pai-Nosso):
Mistérios de Alegria (Gozosos) – segundas e sábados
1º Mistério: Anunciação – O Anjo anuncia a Maria que ela será Mãe do Filho de Deus
2º Mistério: A visita de Maria a sua prima Isabel, grávida de S. João Batista

3º Mistério: O Nascimento de Jesus
4º Mistério – A Apresentação de Jesus no Templo
5º Mistério – A perda e o reencontro do menino Jesus em Jerusalém

Mistérios Dolorosos – terças e sextas
1º Mistério – A Agonia de Jesus no Horto das Oliveiras
2º Mistério – A Flagelação de Jesus atado à coluna
3º Mistério – A Coroação de espinhos
4º Mistério – Jesus carrega a Cruz para o Calvário
5º Mistério – Crucificação, sofrimento e morte de Jesus


Mistérios Gloriosos – quarta e domingo
1º Mistério – A Ressurreição de Jesus
2º Mistério – A Ascensão de Jesus ao Céu
3º Mistério – A descida do Espírito Santo sobre os apóstolos
4º Mistério – A Assunção de Maria ao Céu
5° Mistério – A Coroação de Maria como Rainha do Céu

Mistérios Luminosos – quinta-feira
1º Mistério – O Batismo no rio Jordão
2º Mistério – A auto-revelação nas Bodas de Caná
3º Mistério – O Anúncio do Reino como convite à conversão
4º Mistério – A Transfiguração no Monte Tabor
5º Mistério – A Instituição da Eucaristia

6. Glória (após cada Mistério)

7. Jaculatória (após cada Glória)
Ó, meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno. / Levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem.

8. Oração final (agradecimento à Nossa Senhora):
“Infinitas graças vos damos, soberana Rainha, pelos benefícios que recebemos todos os dias de vossas mãos liberais. Dignai-vos agora e para sempre, tomar-nos debaixo de vosso poderoso amparo, e para melhor Vos agradecer, vos saudamos com uma Salve-Rainha."


9. Salve-Rainha
10. (Opcional) Ladainha de Nossa Senhora ou outra de especial devoção do fiel

O Santo Terço em Latim

(acompanhe junto com o vídeo) 



O santo Rosário com o Papa Bento XVI

[Pode-se pausar o vídeo após cada oração do Glória e rezar a seguinte jaculatória: 'Ó, meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno. / Levai as almas todas para o Céu e socorrei principalmente as que mais precisarem'; logo depois, continuar acompanhando o vídeo]

Mistérios da Alegria – segundas e sábados

Ao final Ladainha até 22:14

Mistérios da Luz – quintas-feiras


Ao final Ladainha até 20:17

Mistérios Dolorosos – terças e sextas-feiras


Ao final Ladainha até 22:20

Mistérios Gloriosos – quartas-feiras e domingos


Ao final Ladainha até 20:01
Oração por santos sacerdotes

“Senhor Jesus Cristo, que para nos dar testemunho do vosso Amor infinito instituístes o sacerdócio católico, a fim de permanecerdes entre nós pelo ministério dos presbíteros, enviai-nos santos sacerdotes!

Deus Pai, Filho e Espírito Santo, nós vos pedimos pelos nossos párocos e vigários, por aqueles que estão conosco, à frente de nossas comunidades; pedimos, especialmente, pelos que estão no comando da vossa Igreja, vosso Corpo, por vossa Glória! Que se mantenham firmes na santa missão que lhes foi confiada, que se lembrem sempre de viver e agir segundo a vossa santa Vontade; que não se percam, não se deixem seduzir pelo mundo, mas permaneçam fiéis ao Evangelho, sabendo preferir sempre as coisas santas que as do mundo, a caridade divina às políticas mundanas. Que nunca se esqueçam de nos instruir e conduzir, dando-nos exemplos de santidade e fidelidade.

Agradecemos e pedimos pelos sacerdotes que verdadeiramente trabalham a serviço do Vosso Reino, que não é deste mundo; seja ensinando, abençoando ou administrando os Sacramentos da salvação. Amparai e confortai, Senhor, aqueles que estão cansados e desanimados, que sofrem injustiças e perseguições pelo Vosso Nome ou que se sentem angustiados diante dos problemas, dificuldades e provações. Iluminai àqueles que lhes são hierarquicamente superiores, aqueles a quem destes maior responsabilidade no pastoreio do vosso rebanho, para que sejam sempre nosso auxílio e nunca motivo de nossa confusão; que possamos um dia nos apresentar juntos diante de Vós, com nossos corações limpos e nossas consciências puras.

Fazei que todos sintam a presença do vosso Amor, a força da vossa Providência, o sentido do vosso Sacrifício e a natureza espiritual do vosso Reino por meio de santos sacerdotes, pelo bem de toda a vossa Igreja e de todas as almas que anseiam pela vossa Presença, neste mundo e no outro.

Em vosso Nome Santíssimo, Senhor Jesus Cristo, Deus e Senhor Nosso, com o Pai e o Espírito Santo, pela intercessão da Virgem Maria e de todos os vossos santos e santos anjos, imploramos, confiantes em vossa infinita Misericórdia. Amém."


Súplica pelo apostolado "Fiel Católico" e Consagração dos seus trabalhos a Deus, Nosso Senhor

Meu DEUS e meu SENHOR Jesus Cristo, meu Tudo, meu Sumo Bem,

Por Vós eu tenho procurado por toda a minha vida, de dia e de noite, gemendo e suspirando sem saber onde encontrar, como proceder, por onde ir. Tenho buscado vossa Face com meus olhos, mas, ai de mim, não vos encontrando tenho distraído meu olhar e meus pensamentos em vossas criaturas, e feito dos prazeres do mundo um pavoroso substituto para o Prazer dos prazeres, que eu desejei encontrar somente em Vós. Pequei muitas vezes, por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha máxima culpa.

Desejo ver a vossa Justiça, anseio por vosso Amor, mesmo sabendo que não sou digno de vossa Misericórdia e ainda menos de vosso Amor. Não sou puro, paciente, amoroso, persistente, sensato, fiel ou tranquilo como queria ser, como creio que deveria ser. Tenho sido infiel por toda a minha vida, e mesmo assim nunca deixei de sentir o vosso Amor infinito a me proteger, a me cercar e me fortalecer, porque para Vós nada é impossível.

E se não vos cansais de me amar e de me perdoar, não posso eu me cansar nem desistir jamais de implorar pelo vosso perdão, e ainda mais, não posso deixar de crer que ainda me perdoarás, por mais impossível que isso me pareça, tamanhas as minhas infidelidades. Por isso, aqui estou, meu Amado e Incompreensível DEUS Misericordioso, novamente suplicando pelo vosso perdão e pelo vosso Amor restaurador.

DEUS meu, se nunca poderei ser aquilo que escolhi, se nunca serei capaz de honrar integralmente minha adesão ao Evangelho e à vossa Igreja, ao menos me consola saber que, no fim, fareis justiça, por mim e contra mim. Depois de tudo, se cumprirá a vossa santa Vontade. Sois justo, e eu creio que vossa justiça se cumprirá infalivelmente. Entrego-me, entretanto, a Vós, meu DEUS, para que me tomeis como vosso servo e para que me useis como vosso instrumento. Não permitais, meu SENHOR, que meu trabalho se perca, o trabalho que verdadeiramente é vosso antes de ser meu, que é para vossa Glória e para o bem das almas. Cumpri em mim plenamente vossa Vontade, meu SENHOR, retirai de mim o medo, livrai-me do medo que me escravizou por toda a vida, assim como toda inclinação para o que vos desagrada e todo apego às coisas do mundo.

Confessando meus incontáveis pecados e minha constante infidelidade, entrego minha alma e minha vida inteira a Vós. Que tudo que eu gozar, conquistar, superar, vencer, seja para a vossa Glória. A Vós eu entrego e consagro todas as minhas alegrias, vitórias, conquistas, prazeres. E que tudo que eu padecer e tiver que suportar, seja igualmente para a vossa Glória; a Vós eu entrego e consagro todas as minhas dores, sofrimentos, decepções.

E ouso implorar mais uma vez, eu que sou tão indigno, confiante no Nome de meu SENHOR e meu DEUS, Jesus o Cristo: perdoai-me, iluminai-me, fortalecei-me para ser um digno soldado vosso. Quero lutar ao lado de vossos santos Anjos, nem que seja como mero instrumento, uma coisa qualquer que sirva, como uma pedra suja e sem valor, mas que pode ser lançada contra o inimigo. Quero vos servir, acima de tudo, porque sois propriamente a Origem, a Fonte e a Razão de tudo. Fazei de mim conforme vossa santa Vontade, meu Deus, e apenas humildemente peço: guardai o meu trabalho, salvai minha missão, fazei com que vença o Apostolado que eu indignamente dirijo e que a Vós eu agora entrego e consagro, ó, PAI, FILHO e ESPÍRITO SANTO:

Que a voz do "Fiel Católico" não esmoreça, não se cale, não seja esquecida, antes cresça e ganhe força sempre redobrada, sempre ao vosso Serviço, a serviço da Verdade e da verdadeira Caridade.

Capacitai-me para o bom combate e o bom trabalho; iluminai-me sempre para que eu possa fazer e proclamar o que é certo, em Vós; fortalecei-me para dizer não quando for preciso, e sim quando for justo. Capacitai-me, rogo insistentemente, para que eu sirva como instrumento vosso, do vosso Amor, da vossa Verdade, da vossa Justiça.

Não sou digno mas confio, não em mim. Em vosso Nome, meu Cristo, Jesus, DEUS e SENHOR meu. Em Nome do PAI, do FILHO e do ESPÍRITO SANTO. Amém. Santíssima Virgem Maria, Refúgio dos pecadores, Tabernáculo da Nova e Eterna Aliança, Mãe da Igreja: humilho-me diante de vossa grandeza. Rogai por mim e pelo meu trabalho a Deus. Amém.







Matéria retirada do site: